s
About Us
Lorem Ipsum is simply dummy text ofering thetonat sunrising printing and typesetting industry seo is partysipati carma. Lorem Ipsum is simply dummy,
Follow Us

Blog

O que uma grande empresa espera da sua startup

Descubra como sua startup pode se destacar no mercado e ganhar a atenção de grandes empresas.

Nos dinâmicos e acelerados ecossistemas em que vivem as startups, o tão sonhado crescimento pode acontecer de muitas formas.

Diferentemente de empresas mais tradicionais, que são guiadas apenas por números de faturamento ou empréstimos bancários, o desenvolvimento de startups está muito mais atrelado à escalabilidade do seu negócio e seus ciclos de aprendizagem.

Com isso em mente, uma das melhores formas de dar continuidade ao seu projeto é participar de programas e eventos de incentivo e fomento, muitas vezes realizados em parcerias com empresas que primam pela inovação e por novas oportunidades de negócio.

Para aqueles que estão inseridos no meio essa não é nenhuma grande novidade. Porém, por que tantas startups ainda falham em conquistar a atenção de empresas de grande porte? Por que algumas não conseguem se lançar realmente no mercado? Como é possível para uma startup continuar evoluindo e alcançando metas ao participar de programas como esses?

Confira, na sequência, respostas para essas e outras perguntas.

Relacionamento entre grandes empresas e startups

Enquanto não há regras a respeito de como uma empresa deve ou não se relacionar com uma startup, é comum pensar que o único modelo possível para que isso aconteça seja na forma de investidora ou compradora.

A realidade, contudo, mostra caminhos diferentes. Dentro de um programa como o Link Lab, da Acate, por exemplo, trata-se muito mais de aproximação do mercado e projetos realizados em parceria do que da intenção de aquisição. Tudo, claro, depende de cada startup e cada empresa.

Sobre esse assunto, Leandro Schmitz, superintendente de inovação da Flex Contact, uma das patrocinadoras do Link Lab, ressalta: “estamos abertos para discutir modelos de relacionamento. Há espaço para investimento, parceria no desenvolvimento de novos produtos, comercialização conjunta e contratação dos serviços das startups”.

 

 

Dinâmica de trabalho entre grandes empresas e startups

Se você busca fazer conexões entre sua startup e empresas de grande estrutura, precisa estar preparado para entregar valor de forma consistente e efetuar adaptações com agilidade.

Aqui, MVPs são a chave para que as soluções sejam desenvolvidas com o menor desperdício de recursos possível, além de contar com métodos de métricas para uma avaliação objetiva dos trabalhos realizados.

David Silva, chefe de inovação da Teltec Solutions, outra patrocinadora do Link Lab, comenta: “alinhamos expectativas, efetuamos um planejamento conjunto e acompanhamos semanalmente os resultados com o auxílio da metodologia OKR, a partir da qual criamos as metas”.

Não obstante, é natural que o contato que se tem no transcorrer dos trabalhos também gere experiências benéficas em termos de aprendizado e networking.

“Um dos pontos altos de trabalhar com startups é a possibilidade de um grande e qualificado networking” – ressalta Rachel Gallois, coordenadora de Marketing do Grupo Nexxera, patrocinador e também cofundador do Link Lab. “Além das reuniões presenciais e palestras periódicas com temas pertinentes para o mercado, convidamos as startups para visitas guiadas no Grupo Nexxera para que elas possam conhecer e interagir com diversas áreas”, complementa.

Cultura de inovação e aprendizado mútuo

Grandes organizações nem sempre são conhecidas por terem uma cultura de inovação amplamente difundida entre seus departamentos. Isso, felizmente, vem mudando, e interações como essas que ocorrem no Link Lab atestam o fenômeno.

“Também aprendemos muito nos conectando com as startups, e com o tempo creio que esse modelo de trabalho baseado em inovação aberta se dissemine para o restante da organização” – enfatiza David Silva, da Teltec Solutions.

No Grupo Nexxera, o contato com outras percepções, métodos e culturas em ambientes disruptivos também gera benefícios, como destaca Rachel Gallois: “nos ajuda muito nos temas de UX (user experience) e outras áreas”.

Mantendo a relação e a evolução dos trabalhos

Uma vez que sua startup gere interesse de outra empresa, é sensato tomar as devidas precauções para garantir a estabilidade e longevidade dessa relação. Para isso, a recomendação é basicamente unânime: postura, compromisso com entrega de valor, amadurecimento dos negócios e engajamento com a missão maior, que é transformar a startup numa empresa sustentável.

“Buscamos o payback, mas também o seu crescimento e consolidá-la como uma empresa sólida” – comenta Rachel.

 

 

Destacando-se em meio às demais

Especialmente se você estiver pensando em participar de um programa como o Link Lab, é preciso ter em mente que tanto sua startup quanto suas ideias serão julgadas de forma objetiva. Isso, contudo, deve servir de estímulo para que você busque mais foco e comece a aprimorar o quanto antes a solução que você planeja desenvolver.

Leandro, da Flex Contact, recomenda: “busquem conhecer de perto as dores de seu mercado-alvo antes de sair desenvolvendo soluções para problemas que os empreendedores acham que existem”.

O que nos remete à questão de inovação é, sim, palavra de ordem, mas esta não deve acontecer desprendida da realidade e deve ter como base dores reais de consumidores.

“Percebam o usuário e não apenas ouçam ele. Entendam bem os processos atuais antes de construírem novos, pois o sucesso nem sempre está em fazer melhor, mas em melhorar como se faz” – destaca Rachel, do Grupo Nexxera.

Mais sobre o Link Lab

Para quem vive e acompanha o Link Lab de perto, o grande diferencial está no aprendizado decorrente dos relacionamentos e do ambiente aberto, no qual diversas startups e empresas interagem, trocam experiências e amadurecem seus pontos de vista ao serem apresentadas a novas perspectivas e culturas.

“São culturas muito diferentes, todas num mesmo ambiente” – ressalta Tatiana Takimoto, gerente de programas estratégicos da Acate. “Trabalhar a cultura no Link Lab, onde temos 9 grandes empresas e 30 startups, foi realmente de um valor incrível para a Acate”, finaliza.

Bruna Castro, também envolvida no Link Lab, complementa: “nosso espaço é bem favorável à criatividade e inovação e, aos que souberam aproveitar, depararam-se com diversas oportunidades que surgiram, como palestras, cursos, mentorias e grandes conexões”.

Para saber mais sobre o Link Lab – programa para startups da Acate –, basta acessar o site oficial.