s
About Us
Lorem Ipsum is simply dummy text ofering thetonat sunrising printing and typesetting industry seo is partysipati carma. Lorem Ipsum is simply dummy,
Follow Us

Blog

Educação financeira: 7 boas práticas para startups

É fundamental que a startup esteja atualizada sobre as melhores práticas e ferramentas disponíveis no mercado.

Organização e planejamento são palavras-chaves para o sucesso de qualquer empreendimento. Essas características devem ser cultivadas com rotinas práticas e básicas, a fim de obter maiores controle e rendimento e preparar a startup para escalar ou receber investimentos.

Controle do fluxo de caixa, despesas e tributos, entre outros, é uma prática fundamental para que startups consigam investimentos estratégicos, melhor captação de investidores, além de manter um histórico financeiro que as auxiliam e dão segurança na tomada de decisões.

 

Confira 7 boas práticas essenciais para a gestão financeira de startups:

1 – Faça a contabilidade de despesas

Contabilize todas as despesas da sua startup, registrando o dinheiro que sai da organização. Podem ser criadas categorias de custo fixo para a estrutura – como água, energia, internet e aluguel imobiliário – e despesas variáveis, como a reparação de equipamentos.

A categorização das despesas apontará a dimensão dos gastos mais expressivos e onde estes podem ser reduzidos ou eliminados. Por exemplo, se o custo com ligações telefônicas estiver alto, poderá optar por alternativas, como chamadas via Skype ou WhatsApp.

 

2 – Remova suas dívidas assim que possível

Muitos empreendedores fazem empréstimos em bancos ou em outras instituições para iniciar a startup. Isso acaba afetando a saúde financeira da startup.

Para se livrar da dívida o mais breve possível, recomenda-se que um montante mensal seja reservado para o pagamento de contas. Isso garante que as dívidas sejam pagas em dia, sem gerar taxas de juros.

 

 

3 – Estipular metas

Os objetivos servem de ponto de chegada à trajetória da startup. No desenvolvimento do planejamento estratégico da organização, pode-se definir o objetivo a ser adquirido durante o mês ou o ano.

Os objetivos podem ser, por exemplo, aquisição de novos equipamentos para a startup, reformar a estrutura, contratar um novo funcionário para determinado setor etc.

 

4 – Tenha sempre capital de giro

Para garantir a saúde financeira da startup, é essencial que o empreendedor tenha capital de giro. A gestão do capital de giro tem o intuito de deixar o ciclo operacional da empresa o mais eficiente possível, minimizando custos e garantindo as receitas sempre superiores às despesas. Dessa forma, oferece suporte suficiente para realizar vendas e efetuar gastos com estabilidade, sem colocar em risco a saúde financeira da organização, evitando excessos desnecessários e mantendo o grupo em situação favorável diante das mudanças do mercado.

 

5 – Funcionários envolvidos na cultura organizacional

Deve haver uma consciência contínua entre a cultura tão característica de espaços inovadores como startups e a gestão financeira. A educação financeira deve caminhar junto à cultura organizacional, com a noção de que os gastos desnecessários devem ser evitados.

Os funcionários precisam ser informados de que, ao economizar recursos da startup, eles também colhem benefícios, pois a organização pode fazer melhores investimentos em outras contas.

 

 

6 – Avaliar a contratação de um contador

Tanto quanto adotar boas práticas para a gestão financeira, em alguns casos, dependendo do tamanho ou da especificidade da startup, é necessário contratar um contador para ajudá-lo a gerenciar as finanças. Esse profissional pode ser contratado para atuar na própria organização, como pode apenas prestar consultoria de serviços.

 

7 – Use ferramentas de gerenciamento

Atualmente, existem diversos softwares que podem contribuir grandemente para manter o setor financeiro da sua startup sempre atualizado. Além do benefício da integração de diversos processos e rotinas, tudo em um mesmo local, eles otimizam a realização de tarefas do financeiro e a gestão torna-se mais efetiva e voltada para a análise dessas informações.